quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Á JÚPITER VENUS


A poetisa enreda em seu sólo
Saltando por entre os planetas
Em suas mãos o coração
O teu desejo como a vida por um fio...

Fragmentos deveras
Dançam a sua canção favorita

Em seu seio o derbaque de
Um poema incansável
Umedece as pontas dos teus dedos
Sugerem coisas inacabadas no palco!

Ela descortina os teus olhos no cenário de Júpiter!
Permitindo ao seu ser se manifestar
Em apenas uma partícula de tempo
Todo o bem e mais o querer á devora
Como se a poeta fosse apenas uma mortal...

O ar da vida
Adentra como essência em tuas narinas
Remete ao pulmão deste DEUS SOL
Que em chamas a chama e ...
Um abraço de Venus salva as Deusas e Mortais
De agora, por hora...

Imagem Vera Lúcia Bezerra
Poesia Vera Lúcia Bezerra


Um comentário:

  1. "... Um abraço de Venus salva as Deusas e Mortais..." Lindos versos!

    ResponderExcluir