segunda-feira, 9 de março de 2015

AMOR ATEMPORAL


Eu sou o sonho ainda vibrante, intocado de outrora
Impulsivo e latente como o desejo de agora
Que adormece e amanhece no peito
Afrontando as tradições, as prisões afora...

Eu quero a sua lábia atrevida, lasciva licor
da vida pra minha historia,
Abandonar-me em sua boca, abocanhar lhes,
Perder os sentidos e me achar nos maliciosos

Em seu abraço despedida, ávida para a vida
Permanecer por igual desejoso.
E em simplicidades te encantar a fora... 

*
Vera Lúcia Bezerra Freitas
Imagem do Google
Página do Escritor; Recanto das letras Texto: T5164367 

Um comentário:

  1. Lindo é pouco,para tanta sensibilidade ♥<---------->♥ Parabéns!

    ResponderExcluir