domingo, 14 de maio de 2017

NA MIRA















Te direi na linguagem dos homens
o conteúdo do peito me esmaga
Impermeável a alma o ruído
que arranca o fôlego e a pele estilhaça
*

Sem rodeios na linguagem
a flecha seteira é na língua
e na direção que aponta
Acerta a esquerda da imagem
*
Me arranco antes daí
com os enovelados de contos

que neste terreno inóspito
amontoados não vingavam ...
*
Não roubaras mais os sentidos
Incinerados do peito banidos
Nem fuligem sobra derradeira
que lhe ouse dá vida miragem.

*

Vera Lúcia Bezerra Freitas
Página do Escritor - Recanto das Letras http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5999200


Nenhum comentário:

Postar um comentário