sábado, 13 de março de 2010

Segreda-me na Boca

Segreda-me na Boca
Conta os teus esquecidos
Os guardados, os novos achados!
Não espere respostas dos
cochichos
Surreais aos ouvidos!
Vem ficar por aqui, comer, beber deitar
O ph do hálito fermentando, rendendo situações!
Fale de encontro á minha boca
Contradiga coisas outras mais...
Segreda-me, que eu os como...
Fale, fale
Para não te incomodar mal respiro ao mastigar
E a mente voa... Quanta bagagem!
Ahhh!
Poeta com queixa de barriga vazia é mais uma invenção
Ou falta de coragem...

VERA
Imagem Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário